World’s Largest Development Banks pledge $175 Billion for the Creation of More Sustainable Transport

57. picture_6

RIO DE JANEIRO, BRAZIL (20 June, 2012)—The eight largest multilateral development banks (MDBs) announced today that they will invest US$175 billion to finance more sustainable transportation systems over the coming decade, boosting equitable economic development and protecting the environment and public health across the developing world. The pledge by the Asian Development Bank, the World Bank and six other MDBs was made at the start of United Nations Conference on Sustainable Development (also known as Rio+20).

Congestion, air pollution, road accidents and transport related climate change can cost 5-10% of GDP per year. The transportation sector is now the fastest growing source of greenhouse gases a result of decades of urban planning that focused on improving mobility for automobiles at the expense of public transport users, cyclists and pedestrians. This approach has made life much more difficult for people in cities, especially the urban poor.

“These unprecedented commitments have the promise to save hundreds of thousands of lives by cleaning the air and making roads safer; cutting congestion in hundreds of cities; and reducing the contribution of transportation to harmful climate change. They will create more efficient passenger and freight transportation, spurring sustainable urban economic growth,” said Joan Clos, Executive Director of UN-HABITAT.

The voluntary commitments are an outcome of the Rio+20 campaign of the Partnership on Sustainable Low Carbon Transport (SLoCaT), with the support of ITDP, a multi-stakeholder partnership including UN-organizations, MDBs and other development organizations, NGOs and business sector organizations. 16 additional voluntary commitments were made by 13 organizations on sustainable transport; the total pledged today will give millions of people across the world better access to schools, hospitals, jobs and markets.

“Never before have these institutions collaborated on such a global scale. The breakthrough that we are witnessing allows us to plan for the one billion people who will move to cities over the next 20 years and the one billion people still living in poverty” says Cornie Huizenga, joint convener of the SLoCaT Partnership and organizer of the SLoCaT Rio+20 campaign.

The rapid pace of urbanization around the world is transforming the transportation sector. Although Latin America is already highly urbanized, cities in Africa and especially Asia are still mushrooming in size. It is expected that China and India alone will add 500 million people to their urban population in the next 20 years. This growth demands transportation systems that can prevent or overcome patterns of sprawl and congestion and ensure access to goods and services.

“This large MDB commitment on transport is an important contribution towards putting in place collaborative long term finance for the transport sector. Together with the other transport-related voluntary commitments made by members of the SLoCaT partnership, the MDB commitment can help effective measurable implementation of Sustainable Development,” says Brice Lalonde, one of the two executive coordinators of the Rio+20 Conference.

58. picture5

“Participants at Rio+20 have witnessed the toll that traffic congestion and unsafe street crossings impose every day. We see it at home, we see it when we travel, and we see it in Rio,” said Michael Replogle, Global Policy Director and Founder of the Institute for Transportation and Development Policy (ITDP). “These problems have solutions, but to replicate the successful models for urban transport that we developed in cities like Ahmedabad and Guangzhou, we need the policy support of U.N. organizations, enabling actions by national governments, and the financial support of MDBs. These commitments will help advance those solutions.”

The SLoCaT partnership will help develop the results framework and annual reporting on the implementation of the voluntary commitments. The Joint Statement of the MDBs acknowledges this role: “Together with 68 agencies that form the SLoCaT Partnership, we have initiated work on definitions, setting targets and choosing indicators for sustainable transport/mobility and assistance provided to support sustainable transport/mobility, with a view to finalizing these within 2012.”

# # #

The SLoCaT partnership, a multi-stakeholder partnership of over 60 members, was formed in 2009 to improve the knowledge on sustainable low carbon transport, help develop better policies and catalyze their implementation. It has influenced sustainable transport policies and strategies across a wide range of its member organizations including development banks, international organizations, NGOs, private sector, and research organizations.

ITDP helps cities to design and implement environmentally sustainable and socially equitable transportation solutions in cities. With projects in Argentina, Brazil, China, India, Indonesia, Mexico, South Africa, Hungary and the US, ITDP is at the forefront of efforts to reduce carbon emissions, protect the environment, enhance social equity, and improve the quality of urban life.

Virtual Press Room: https://globaltransportation.wordpress.com/ (Password: funding1)

For more information:

————————————————————

Maiores Bancos de Desenvolvimento do Mundo Prometem na Rio+20 Investir Juntos $175 Bilhões na Criação de Sistemas Mais Sustentáveis de Transportes

RIO DE JANEIRO, BRASIL (20 de Junho de 2012)—Os oito maiores bancos multilaterais de desenvolvimento (MDBs) anunciaram hoje que alocarão US$175 bilhões para financiar sistemas de transporte sustentável durante a próxima década, promovendo o desenvolvimento econômico equitativo e protegendo o ambiente e a saúde pública em todo o mundo em desenvolvimento. A promessa do Banco Asiático de Desenvolvimento, do Banco Mundial e de seis outros MDBs foi feita no início da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (também conhecida como Rio+20).

O congestionamento, a poluição atmosférica, os acidentes de trânsito e a mudança climática associada aos transportes podem custar de 5% a 10% do PIB por ano. O setor de transportes é a fonte de emissão de gases de efeito estufa que mais cresce no momento, resultado de décadas de um planejamento urbano centrado na melhoria da mobilidade dos veículos privados, em detrimento dos usuários do transporte público, ciclistas e pedestres. Essa abordagem tornou a vida muito mais difícil para os habitantes das cidades, sobretudo a população urbana de mais baixa renda.

“Esses compromissos sem precedentes agora assumidos trazem a promessa de salvar milhares de vidas humanas com a limpeza do ar, uma circulação viária mais segura, a redução de congestionamentos em centenas de cidades e a redução da contribuição dos transportes à mudança climática nociva. Eles permitirão gerar maior eficiência no transporte de passageiros e de carga e promover um crescimento econômico urbano sustentável”, comentou Joan Clos, Diretor Executivo da UN-HABITAT.

Os compromissos voluntários são um resultado positivo da campanha feita na conferência Rio+20 pela SloCaT (sigla, em inglês, de Transporte Sustentável de Baixo Carbono), uma pareceria internacional que agrega múltiplos grupos de interesse, inclusive organizações das Nações Unidas, MDBs e outras organizações ligadas ao desenvolvimento, ONGs e organizações do setor empresarial. No total, 16 compromissos voluntários adicionais sobre o transporte sustentável foram assumidos por 13 organizações, sendo que o total hoje empenhado permitirá um melhor acesso a escolas, hospitais, empregos e mercados a milhões de pessoas do mundo inteiro.

“Nunca antes essas instituições colaboraram em escala global dessa magnitude. Essa decisão histórica que agora testemunhamos nos permitirá planejar para o contingente de 1 bilhão de pessoas que mudarão para as cidades nos próximos 20 anos, bem como 1 bilhão de pessoas que ainda vivem na pobreza”, disse Cornie Huizenga, responsável pela convocação conjunta da Parceria SLoCaT e organizadora da campanha da SLoCaT na Rio+20.

O rápido ritmo de urbanização do mundo inteiro está transformando o setor de transportes. Apesar da América Latina já ser altamente urbanizada, as cidades da África e especialmente da Ásia continuam a explodir em tamanho. A previsão é de que somente a China e Índia acrescentarão 500 milhões de pessoas à sua população urbana nos próximos 20 anos. Essa expansão exigirá sistemas de transportes que possam prevenir ou controlar os padrões de expansão desordenada e o congestionamento e garantir um acesso adequado a bens e serviços.

“Este enorme compromisso das MDBs com relação aos transportes é uma importante contribuição para colocar em funcionamento esforços colaborativos de financiamento de longo prazo para o setor de transportes. Junto com outros compromissos voluntários e relacionados aos transportes feitos por membros da parceria SLoCaT, o compromisso das MDBs pode ajudar a implementação eficaz e mensurável do Desenvolvimento Sustentável”, comentou Brice Lalonde, um dos dois coordenadores executivos da Conferência Rio+20.

“Os participantes da Rio+20 já observaram o preço pago diariamente pelo congestionamento de tráfego e o cruzamento inseguro das vias. Vemos isto em nossos países, quando viajamos e também aqui no Rio”, disse Michael Replogle, Diretor de Políticas Globais e fundador do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP). “Esses problemas têm soluções, mas para reproduzir os modelos de sucesso em transporte urbano que desenvolvemos em cidades como Ahmedabad e Guangzhou, precisamos do apoio das organizações das Nações Unidas no estabelecimento de políticas que possibilitem ações por parte dos governos nacionais, além do apoio financeiro dos MDBs. Esses compromissos ajudarão a promover essas soluções.”

A parceria SLoCaT ajudará a elaborar o quadro de referência de resultados e o sistema de relatórios anuais sobre a implementação dos compromissos voluntários. A Declaração Conjunta dos MDBs reconhece esse papel: “Junto com as 68 agências que formam a Parceria SLoCaT, já iniciamos o trabalho de definições, estabelecendo alvos e escolhendo indicadores de transporte sustentável ou mobilidade, além da prestação de assistência para apoiar o transporte sustentável ou mobilidade, dentro do objetivo de finalizá-los durante 2012.”

# # #

SLoCaT, uma parceria com mais de 60 membros constituídos por múltiplos grupos de interesse, foi formada em 2009 para aperfeiçoar o conhecimento sobre o transporte sustentável de baixo carbono, ajudar a elaborar melhores políticas e catalisar a sua implementação. A parceria já conseguiu influenciar as políticas e estratégias de transporte sustentável de toda uma gama de suas organizações membros, incluindo os bancos de desenvolvimento, organizações internacionais, ONGs, o setor privado e instituições de pesquisa.

O ITDP ajuda as cidades a conceber e implementar soluções de transportes ambientalmente sustentáveis e socialmente equitativas. Com projetos na Argentina, Brasil, China, Índia, Indonésia, México, África do Sul, Hungria e EUA, o ITDP está na vanguarda dos esforços para reduzir as emissões de carbono, proteger o ambiente, aprimorar a equidade social e melhorar a qualidade de vida urbana.

Para obter mais informações: